Projetos autorais

Alguns dias atrás um amigo me pediu para tomar um café com ele. Como fotógrafo iniciante, começou a me questionar sobre o mercado de fotografia. Todas as angústias que um fotógrafo iniciante tem. 

(Inclusive, importante falar, este é o único motivo pelo qual escrevo aqui, para tentar diminuir a angústia de quem está começando.)

Ele me disse que já estava fotografando o suficiente para realizar alguns trabalhos, porém não sabia como conseguir mais clientes, divulgar-se e ainda por cima estudar. E tinha que fazer ao mesmo tempo. 

Assim como eu, ele é um fotógrafo que começou tarde na profissão e não tem o tempo que a fotografia demanda para você entrar no mercado com segurança (como assistente fixo de algum grande fotógrafo). Ele precisa estudar, divulgar o trabalho e ainda sustentar a si e a família.

Como tudo que falo aqui, na minha experiência e opinião, projetos autorais são a melhor saída.

Comecei na fotografia fazendo ensaios sensuais para mulheres comuns. Apesar de ser um campo bem interessante (era muito mais em 2008, acredite!) a procura é muito sazonal. E eu precisava sobreviver. Entrei na fotografia para fugir da minha antiga profissão, a publicidade. Logo quando percebi que não daria para viver da fotografia sensual, apelei para o mercado que eu já conhecia. Pensei, como conheço diversas pessoas na área, quem sabe bato um papo com velhos amigos e começo a fotografar para agências de publicidade.

Apesar de na época eu já ter aproximadamente 1 ano de fotografia e achar que já entendia o suficiente para fotografar uma campanha, eu não tinha absolutamente nenhuma foto para portfólio. Aliás, só tinha foto de mulheres nuas no meu portfólio.

Já conhecia fotografia de retrato e na minha inocência achava que se tivesse vários retratos eu fotografaria para qualquer campanha publicitária. Eu gostava de retratos, e não sabia direito sobre o mercado editorial ainda, porém, o mais importante é, eu já tinha um foco: fotografar pessoas.

Andressa Biata

Fernanda Dias

Samadhi Vincki

Léo Ramos

Felippe Pipeta

Rafaela Capone

Aline Souza

Georgia Novaes

Conheci em 2010, através da internet, o projeto de um fotógrafo novaiorquino que fotografava uma pessoa por dia. As pessoas se inscreviam no site dele e ele fotografava em um dia e postava no dia seguinte. Vi ali a solução para meu problema de portfólio. Entrei em contato com ele, expliquei que queria praticamente copiar o projeto dele porém aqui no Brasil. Ele me respondeu, não só dizendo que sim, como me apoiando. Só me pediu para utilizar outro nome. E assim nasceu o Retratoria.

Durante o ano de 2011, fiz uma foto por dia. Exceto algumas poucas vezes a grande maioria das fotos foram tiradas de um dia para o outro. 

O Retratoria serviu para me ensinar a fotografar, a lidar com as pessoas, me ensinou a ter jogo de cintura em situações apertadas que as vezes a fotografia nos coloca, enfim me ensinou a ser fotógrafo. 

Diego Moraes

Fred Leidl

Guto Ferraro

Henrique Torres

Isabela Pelegrini

Liza Menzl

Priscila Ferrari

Marcela Marin

Pelo fato de ser um projeto inusitado, gerou mídia espontânea tanto para o projeto quanto para minha fotografia e isso me gerou mais trabalhos e reconhecimento. E pelo fato de ser um projeto diário, e eu nunca saber o que iria encontrar, estava todos os dias estudando. Mesmo as vezes sem saber estava estudando iluminação artificial, luz natural, direção de modelos, etc.

Aconselho então, que sempre tenham projetos autorais. Criem metas para o projeto, foquem em coisas que gostem de fotografar ou que possam lhe trazer público ou estudo de alguma forma. Eu tento sempre manter um projeto autoral em curso. Atualmente estou com o Girlzplayground (desde 2013), e antes dele tive outros. Projetos e séries. 

Acho que vou precisar de outro post para falar mais sobre projetos… 


Using Format